sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Ar Livre

A menina translúcida passa.
Vê-se a luz do sol dentro dos seus dedos.
Brilha em sua narina o coral do dia.

Leva o arco-íris em cada fio de cabelo.
Em sua pele, madrepérolas hesitantes
pintam leves alvoradas de neblina.

Evaporam-se-lhe os vestidos na paisagem.
É apenas o vento que vai levando seu corpo pelas alamedas.
A cada passo, uma flor, a cada movimento, um pássaro.

E quando pára na ponte, as águas todas vão correndo,
em verdes lágrimas para dentro dos seus olhos.

(Cecília Meireles)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011


"Permita que suas palavras sejam suaves e seus argumentos fortes. A linguagem da doçura e da leveza é muito importante para eliminar e reduzir as chances de provocar os outros. Não podemos nos livrar da raiva em apenas um dia ou uma semana. Temos que ser pacientes conosco. Paz vem da observação da boa conduta e de evitar conflito com a própria consciência. Uma mente calma não é apenas pacífica, ela é divina."
(Bridget Menezes)

Um abençoado fim de semana à todos!
namastê

Lua

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Belas as flores da renovação!



A Primavera se aproxima e com ela o resultado de todas as mudanças as quais ja atingiram estados de tristeza, sofrimento, susto! ou ainda felicidade...





O processo pode parecer doloroso, porém, traz consigo resultados maravilhosos!





O ano do coelho...da fertilidade! das três forças e do sagrado espirito da Terra.






Que abra assim como um despertar, uma sagrada flor no coração de cada ser. E que esta, renove todos os pensamentos...transmute todas as tristezas e que Ostara, com sua infindável beleza inunde todos os cantos do mundo com seu brilho de amor e sua luz ofuscante que faz com que cada um que a perceba seja mais uma semente da nova Era!





que a Grande Mãe esteja conosco!



Namastê



Vaarael Thirvain



Lua

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Eu sou filho da nação do Arco-íres!




Observe a cor. Ouça a música. Escreva sonhos. Viva o momento.




"Não existe caminho para a falicidade...A felicidade é o caminho!" (M.Gandhi)

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Lua Violeta - A lua da transmutação





Assim como podem ocorrer duas Luas Cheias no mesmo mês (sendo a segunda denominada Lua Azul), também podem ocorrer duas Luas Novas, recebendo o nome de Lua Violeta à fase de três dias que antecede a segunda Lua Nova.



A Lua Violeta possui este nome pelo seu forte poder transmutador e purificador, não é tão conhecida como a Lua Azul, entretanto possui equivalente força.



Nesta Lua, presencia-se um momento misterioso e sagrado que deve ser dedicado à introspecção, à contemplação silenciosa e às reflexões. Desta forma, pode-se alcançar maior compreençao de sua verdadeira essência, seus valores e de sua missão.


Invoca-se as Deusas Da Lua Negra, do Destino, seu anjo da guarda e seus protetores espirituais. (Eu, particularmente, por ter afinidade com a Fraternidade Branca sou adepta aos decretos, por isso, na Lua Violeta acredito ter magnifica força a invocação do sétimo Mestre, Saint Germain da chama violeta).


Vista-se de tons de roxo ou o usual branco. Acenda velas brancas e violetas e crie seu próprio ritual conforme sua intuição.


Para intensificar ainda mais este momento místico, com a ajuda de sua Sacerdotisa interior adentre o portal da sabedoria e receba os ensinamentos para as mudanças Físicas e espirituais.



A Nova Era bate à porta!






Namastê



Vaarael Thirvain!






Sellina Thawynyn

segunda-feira, 4 de julho de 2011

vestidinho encantado



...já dizia a vovó:"essa flor minha querida, é a roupinha das fadas!!!"

domingo, 21 de março de 2010

Mabon- Equinócio de Outono


MABON (20 de março no Hemisfério Sul)

O Sabbat do Equinócio do Outono (também conhecido como Sabbat de Outono, Mabon e Alban Elfed), é o Segundo Festival da Colheita e a época de celebrar o término da colheita dos grãos que começou em Lammas. Também é a época de agradecer, meditar e fazer uma introspecção.

Nesse dia sagrado, os Bruxos dedicam-se novamente à Arte, sendo realizadas cerimônias de iniciação pela Alta Sacerdotiza e pelos Sacerdotes dos Covens. Muitas tradições wiccanas realizam um rito especial para a descida da deusa Perséfone ao Submundo, como parte da celebração do Equinócio do Outono. De acordo com o mito antigo, no dia do Equinócio de Outono, Hades (o deus grego do Submundo) encontrou-se com Perséfone, que colhia flores. Ficou tão encantado com sua beleza jovem que, instantaneamente, se apaixonou por ela, Agarrou-a, raptou-a e levou-a em sua carruagem para a escuridão do seu reino a fim de governar eternamente ao seu lado como sua imortal Rainha do Submundo. A deusa Deméter procurou, por todos os lugares, sua filha levada à força, e, não a encontrando, seu sofrimento foi tão intenso que as flores e as árvores murcharam e morreram. Os grandes deuses do Olimpo negociaram o retorno de Perséfone; porém, enquanto ela estava com Hades, foi enganada e comeu uma pequena semente de romã, tendo, então, que passar metade de cada ano com Hades no Submundo, por toda a eternidade.

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat do Equinócio do Outono são os produtos do milho e do trigo, pães, nozes, vegetais, maçãs, raízes (cenouras, cebolas, batatas, etc.), cidra e romãs (para abençoar a jornada de Perséfone ao tenebroso reino do Submundo).

Incensos: benjoim, mirra, sálvia, flor do maracujá e papoulas vermelhas.
Cores das velas: marrom, verde, laranja, amarela.
Pedras preciosas sagradas: cornalina, lapis-lazuli, safira, ágata amarela.
Ervas ritualísticas tradicionais: bolota, áster, benjoim, fetos, madressilva, malmequer, plantas de sumo leitoso, mirra, folhas do carvalho, flor do maracujá, pinho, rosas, salva, selo-de-salomão e cardo.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

terça-feira, 5 de maio de 2009

A FADA DAS CRIANÇAS

















Do seu longínquo reino cor-de-rosa,
Voando pela noite silenciosa,
A fada das crianças vem, luzindo.
Papoulas a coroam, e, cobrindo
Seu corpo todo, a tornam misteriosa.
À criança que dorme chega leve,
E, pondo-lhe na fronte a mão de neve,
Os seus cabelos de ouro acaricia
–E sonhos lindos, como ninguém teve,
A sentir a criança principia.
E todos os brinquedos se transformam
Em coisas vivas, e um cortejo formam:
Cavalos e soldados e bonecas,
Ursos e pretos, que vêm, vão e tornam,
E palhaços que tocam em rabecas…
E há figuras pequenas e engraçadas
Que brincam e dão saltos e passadas…
Mas vem o dia, e, leve e graciosa,
Pé ante pé, volta a melhor das fadas
Ao seu longínquo reino cor-de-rosa.

Fernando Pessoa

Também existem as fadas da casa amarela...

Elas cantam e dançam, trazendo amor e alegria!!